A música e seu tempo

19 06 2010

Hoje vi um clipe onde uma moça , acompanhada de um banjo toca “Smells Like ten spirits”, do Nirvana. A música ficou até legal, mas eu ficava escutando e sentia falta de alguma coisa.

Quando vi, sentia falta era de toda a energia que a música tinha. O que me marcava era a indignação contra tudo. Eu nunca tinha lido a letra da música, nem sabia muito do que se tratava, mas dava para sentir que era uma música indignada de alguém que crescia e ainda não se entendia bem no mundo e nem queria se entender com ele. Algo que muitos adolescentes sofrem.

Mas na versão folk, faltava alma. Fiquei pensando sobre isso. Hoje a música que os “revoltados” escutam não tem nenhuma revolta. As bandas dos atuais adolescente esta mais para o conformismo, para a auto-piedade. Ai estão os emos, tristes e chorosos, buscando a melhor maquiagem para os deixar parecendo mais tristes, mais apaticos, mais sem personalidade. Eles não me deixam mentir.

Isso mostra um pouco do tempo que estamos vivendo, essa falta de revolta é muito dura. Não por acaso Seatle, a cidade onde nasceu o Nirvana, durante muito tempo foi palco de grandes manifestações.

E eu continuo gostando de música de revolta.

Post dedicado ao Pedro BMX de Sete Lagoas e sua camisa velha do Nirvana